Quatro da manhã.

Quatro da manhã, quando cantam os passarinhos. Que estão a tramar os malditos pássaros? Cantam à desgraça, ao estúpido fim da vida… Danem-se. O mosquito vêm… O que ele quer? A fumaça que sobe, o mosquito que vêm (e os pássaros que cantam). A faca está ali (o fósforo está ali). Inspira, espira; pra dentro, pra fora. Porra! Quatro da manhã!

Anúncios

There are no comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: